Diamantes Famosos

Dresden
- 41 quilates, muito provavelmente proveniente da Índia. Não se conhece o início de usa história. Ao redor do ano de 1700, possuiu-o Augusto, o Forte, Duque da Saxônia. Encontra-se no Hall Verde, Dresden, donde seu nome.

Hope
- 44,40 quilates. Apareceu à venda, em 1830, tendo sido adquirido pelo banqueiro H. T. Hope (daí o nome), de Londres. Provavelmente,relapidado de uma pedra roubada durante a Revolução Francesa. Mudou de mãos muitas vezes. Encontra-se, desde 1958, no Smithsonian Institution, Washington.

Cullinan I
- 530,20 quilates. Lapidado do maior diamante já encontrado pelo homem (3106 quilates; seu nome homenageia Sir Thomas Cullinan, presidente da companhia de mineiração) juntamente com 104 outras pedras, pela firma de Asscher, em Amsterdã, em 1908. Adorna o cetro do Rei Eduardo VII; encontra-se na Torre de Londres; é o maior diamante lapidado, também denominado “Estrela da África”.

Além destes, outros diamantes lapidados são famosos por seu tamanho, beleza, ou algumas vezes por sua história romântica.

Pérolas
As pérolas são produzidas por moluscos e raramente por caracóis e não é possível prever ou garantir o seu tempo de vida. Estima-se que elas possam alcançar de 100 a 150 anos.

As cores das pérolas podem ser rósea, argêntea, creme, dourada, verde, azul e negra. Originam-se do resultado de uma reação contra corpos estranhos que penetram dentro da concha.
A pesca dos moluscos perlíferos é realizada por mergulhadores e somente um em cada trinta ou quarenta moluscos proporciona uma pérola.

É a “Rainha das Gemas” é um verdadeiro presente da natureza: é bela, não precisa de lapidação e nem polimento, já nasce pronta. Como sua produção é muito lenta, passaram a cultivá-las, introduzindo corpos estranhos nos moluscos, que mediante excreções de nácar, formam a pérola.

Cuidados com as pérolas
A pérola é extremamente sensível. Ela não gosta de ar muito seco e nem de excesso de umidade. Poupe-a também dos ácidos, suor, cosméticos laquê e dos perfumes. Todos eles contribuem para ofuscar o “oriente”, o brilho da pérola, e comprometer a sua durabilidade.

Nem pensar em guardá-las dentro de caixas hermeticamente fechadas forradas de veludo. Como elas precisam “respirar”, afinal são também compostas de conchiolina que é uma substância orgânica, o ideal é embrulhá-las em papel de seda e guardá-las em uma gaveta.

Reconhecendo pérolas verdadeiras
Ambas têm o mesmo aspecto, mas as cultivadas têm uma luminescência amarelada quando irradiadas com luz ultravioleta e esverdeada com os raios-X. Caso a sua pérola já esteja danificada, não desanime. Dependendo do estado em que ela se encontre, um especialista poderá recuperá-la.